CRF-PA | Vigilância manda recolher anti-hipertensivo produzido pela Fiocruz
Acesse os serviços online em qulaquer lugar
Conselho regional de farmácia do Estado do Pará
7084
post-template-default,single,single-post,postid-7084,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-11.2,qode-theme-bridge,bridge-child,wpb-js-composer js-comp-ver-6.10.0,vc_responsive
 

Vigilância manda recolher anti-hipertensivo produzido pela Fiocruz

Vigilância manda recolher anti-hipertensivo produzido pela Fiocruz

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) mandou suspender a comercialização e o uso de 31 lotes de um medicamento contra hipertensão produzido pelo laboratório público Farmanguinhos (Fiocruz).

Segundo a agência, verificou-se uma alteração no processo de produção dos lotes citados do comprimido hidroclorotiazida 25 mg. A mudança, segundo resolução publicada no “Diário Oficial” da União desta terça-feira, foi a “moagem do insumo farmacêutico ativo, sem que essa alteração fosse aprovada pela Anvisa”.

E agência explica ainda que “foi constatado que o tamanho da partícula do produto (em virtude da moagem) pode afetar o desempenho do produto e interferir na estabilidade, dissolução e outros requisitos”.

Procurado, Farmanguinhos afirmou que os lotes citados foram distribuídos para secretarias de saúde de municípios do Ceará, mas que os remédios não chegaram a ser administrados a pacientes. E, caso tivessem sido, reforça o laboratório, não representariam risco às pessoas.

A Anvisa determinou o recolhimento dos lotes, o que será feito, segundo a assessoria de imprensa de Farmanguinhos.

Fonte: Folha de S. Paulo

 

Nenhum comentário

Deixe um comentário