CRF-PA | Pessoa que teve contato com espanhola com ebola apresenta febre
Acesse os serviços online em qulaquer lugar
Conselho regional de farmácia do Estado do Pará
5034
post-template-default,single,single-post,postid-5034,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-11.2,qode-theme-bridge,bridge-child,wpb-js-composer js-comp-ver-6.10.0,vc_responsive
 

Pessoa que teve contato com espanhola com ebola apresenta febre

Pessoa que teve contato com espanhola com ebola apresenta febre

Uma das pessoas acompanhadas por ter estado em contato com a auxiliar de enfermagem infectada com ebola na Espanha teve febre nesta quinta-feira (16) e será hospitalizada para realizar exames, anunciaram as autoridades.

“Dos 68 contatos de baixo risco, há uma novidade: um deles desenvolveu um quadro febril nesta manhã”, declarou em uma coletiva de imprensa em Madri Fernando Simón, um dos membros do comitê especial para o acompanhamento do vírus na Espanha.

Foi recomendado mantê-la em sua casa e ela “será transferida imediatamente ao hospital Carlos III”, onde a auxiliar de enfermagem Teresa Romero está internada desde 6 de outubro, disse.

Os médicos esperam ter os resultados dos primeiros exames provavelmente durante a tarde ou noite, afirmou Fernando Simón, diretor do Centro de Alertas e Emergências Sanitárias do ministério da Saúde. Ele ressaltou que se trata de uma pessoa de baixo risco que não é profissional de saúde.

“Foi colocado em andamento todo o protocolo estabelecido, que demonstrou uma eficácia importante”, acrescentou Simón, ressaltando que esta pessoa será transferida em uma ambulância especial. O fato de Romero ter sido num primeiro momento transportada em uma ambulância normal provocou uma grande polêmica na Espanha.

Romero, de 44 anos, que desenvolveu os primeiros sintomas em 29 de setembro, seguia nesta quinta-feira em uma situação estável, disse.

“A carga viral parece ter diminuído”, acrescentou Fernando Simón. “A carga viral é muito baixa, mas ainda não é nula”, explicou.

As 15 pessoas que estão em quarentena no hospital Carlos III por terem estado em contato mais próximo com Romero não apresentavam sintomas nesta quinta-feira, segundo este funcionário.

 

Fonte: G1 Saúde

Nenhum comentário

Deixe um comentário