Sesma abrirá 24 vagas para farmacêuticos — CRF-PA
Acesse os serviços online em qulaquer lugar
Conselho regional de farmácia do Estado do Pará
1004
post-template-default,single,single-post,postid-1004,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.2,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.2.1,vc_responsive

Sesma abrirá 24 vagas para farmacêuticos

Ontem, 17.05, o Diretor Secretário Geral do CRF/PA, servidor público da SESMA e membro do Conselho Municipal de Saúde, Dr. Deick Quaresma, participou de uma importante reunião do Conselho de Saúde de Belém. A pauta foi específica para a apresentação do quadro do número de vagas que serão ofertadas pela SESMA em concurso público – ainda em 2018.

A reunião de hoje efetivou a necessidade de profissionais para a realização do Concurso Público de acordo com os cargos criados pela lei Municipal nº 9.203, bem como o limite de vagas ofertadas – que foram devidamente encaminhadas para a SEMAD. Serão destinadas a farmacêuticos 21 vagas e para farmacêutico-bioquímico, 3, totalizando 24 novos cargos para profissionais da área. O edital será em breve publicado nos Diários Oficiais – tanto municipal quanto da união.

Para o Dr. Deick Quaresma, em qualquer um dos três campos de atuação, a luta pela introdução de profissionais farmacêuticos na Secretária de Saúde Municipal foi veemente. “Temos defendido a necessidade de recomposição do quadro de Farmacêuticos da SESMA para cumprimento da Assistência Farmacêutica plena na Secretaria, e vamos continuar cobrando e fiscalizando para garantir o direito da população assistida pelo SUS em contar com atendimento equânime, multiprofissional e de qualidade”, enfatiza.

O presidente do CRF/PA, Dr. Daniel Jackson Pinheiro Costa, que trava desde 2008 uma constante luta para a abertura de concursos públicos para farmacêuticos, ainda considera o número de vagas muito abaixo do esperado e defende a abrangência para, no mínimo, o dobro do número ofertado inicialmente. “Devemos ter a abertura de 60 vagas no mínimo,  para os profissionais farmacêuticos poderem atuar junto ao sistema público de saúde e assim levarem assistência adequada à sociedade”, defende o presidente.

Nenhum comentário

Deixe um comentário