Medicamentos descartados incorretamente prejudicam o meio ambiente — CRF-PA
Acesse os serviços online em qulaquer lugar
Conselho regional de farmácia do Estado do Pará
3675
post-template-default,single,single-post,postid-3675,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.2,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.2.1,vc_responsive
 

Medicamentos descartados incorretamente prejudicam o meio ambiente

Medicamentos descartados incorretamente prejudicam o meio ambiente

Ao se deparar com medicamentos vencidos ou ainda aqueles que não se utiliza mais, deve-se descartá-los em uma farmácia. Os medicamentos que forem jogados no lixo comum ou em pias e ralos podem contaminar o meio ambiente com substâncias nocivas.

Estima-se que a cada quilo do produto no meio ambiente, 450 mil litros de água são poluídos com os componentes químicos presentes. Os dados são da Secretaria de Gestão Ambiental, do Tribunal de Justiça de Santa Catarina.

Plantações e rios são os mais afetados. “Qualquer resíduo for descartado de maneira incorreta pode contaminar toda a rede de mananciais ou rios de uma cidade pequena”, observa a bióloga Regina Freitas Fernandes.

Além disto, pessoas que entrarem em contato com os medicamentos descartados inadequadamente, como garis e catadores, podem sofrer intoxicação ou reações alérgicas graves. “Animais de rua também estão sujeitos a intoxicação, pois podem ingerir os medicamentos ao revirar o lixo”, lembra Regina.

A melhor alternativa é levar os medicamentos para descarte aos locais de coleta. Em Criciúma, um dos pontos de coleta de medicamentos é a Farmácia Solidária na Unesc. De acordo com a farmacêutica Fernanda Dagostim Mandelli, atualmente o estoque de doações alcança em média R$ 500 mil mensais.

Fonte: SATC – SC

Nenhum comentário

Deixe um comentário