Barco Hospital permite atuação farmacêutica no Pará — CRF-PA
Acesse os serviços online em qulaquer lugar
Conselho regional de farmácia do Estado do Pará
13515
post-template-default,single,single-post,postid-13515,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.2,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.2.1,vc_responsive

Barco Hospital permite atuação farmacêutica no Pará

O farmacêutico é o profissional da saúde que pode pesquisar, produzir, manipular, selecionar e desenvolver medicamentos, além disso, existem inúmeras áreas de atuação em que este profissional pode atuar. Você conhece todas? Visando expandir o conhecimento dessas áreas, o Conselho Regional de Farmácia do Pará lança uma série de reportagem mensal com personagens inseridos nas mais diversas áreas de atuação do farmacêutico para ampliar as opções do profissional.

Uma delas é a gestão farmacêutica, em que o farmacêutico trata de assuntos regulatórios, auditoria, avaliação de tecnologia, empreendedorismo, garantia de qualidade, gestão da assistência farmacêutica e hospitalar. A área permite diferentes formas de aplicação, entre elas, a gestão farmacêutica em um barco hospital, como no caso do Barco Hospital Papa Francisco, que tem sua base em Óbidos no Pará.

Solicitado pelo Papa Francisco em 2013 em sua vinda ao Brasil, o Barco comporta consultórios médicos, odontológicos, centro cirúrgico, sala de oftalmologia completa, laboratório de análises clínicas, sala de medicação, sala de vacinação, Farmácia e leitos de enfermaria, além de equipamentos para exames, como o Raio x, ultrassonografia, ecocardiograma, mamógrafo, esteira ergométrica e eletro e possui uma equipe multidisciplinar que conta com vários profissionais da saúde, entre eles, os farmacêuticos que atuam na área de assistência farmacêutica e no laboratório de análises clínicas.

O responsável pela área farmacêutica no Barco Hospital é o Dr. Paulo Ricardo Freitas Virgínio, conhecido como Frei Mariano. De acordo com ele, os atendimentos são realizados na saída do consultório médico: “fazemos as orientações quanto a posologia, porque muitas dessas pessoas infelizmente não tiveram acesso à escola então ficam muito confusas quanto ao horário de tomar os medicamentos e nós farmacêuticos estamos ali para ajudá-las. Já no setor de análises clínicas, nós realizamos os exames de hematologia, bioquímica, parasitologia e urinálises para auxiliar o médico no diagnóstico”, explica.

Os farmacêuticos trabalham no Barco Hospital não apenas com a gestão farmacêutica, no auxílio da aquisição de materiais e medicamentos, mas também, na assistência à saúde dos ribeirinhos no Pará auxiliando no uso correto do medicamento para que o tratamento tenha eficácia.

Criação do Barco Hospital
Frei Mariano contou que o Barco Hospital foi solicitado pelo Papa Francisco durante sua visita ao Rio de Janeiro, em 2013, para a Jornada Mundial da Juventude. Ao visitar e inaugurar uma ala hospitalar para dependentes químicos no Hospital São Francisco na Tijuca, dirigida pela Associação e Fraternidade São Francisco de Assis na Providência de Deus, o Papa perguntou a Frei Francisco, fundador da Associação e Fraternidade que gerencia mais de 80 unidades de saúde no Brasil, Haiti e Portugal, se a congregação estava presente na Amazônia.

“Ao obter resposta negativa, o Papa Francisco respondeu ‘vocês devem ir’ e foi a partir do pedido do pontífice que Frei Francisco, juntamente com Associação e Fraternidade a pedido do Bispo de Óbidos, no Pará, assumiu a Santa Casa e, mais tarde, o Hospital 9 de Abril em Juruti. Vendo a dificuldade dos ribeirinhos com acesso à saúde, Frei Francisco pensou num pequeno Barco Hospital”, complementou Frei Mariano.

Quem é Frei Mariano?
Formado em 2016 pela Faculdade do Oeste Paulista – Unoeste, Frei Mariano atua na Associação e Fraternidade São Francisco de Assis na Providência de Deus, que administra 80 unidades de Saúde no Brasil, Haiti e Portugal. Foi administrador de várias unidades hospitalares e hoje atua como diretor administrativo do hospital 9 de Abril na Providência de Deus, em Juruti no Pará.

“Sempre atuei como Gestor, mas sempre associando a Farmácia Hospitalar juntamente com Gestão Geral de Hospitais na qual atuei. Acredito que as ciências farmacêuticas estão ligadas também à gestão de qualquer unidade de saúde. A partir do momento que você abre os horizontes e concilia a gestão com a técnica farmacêutica, você consegue trabalhar com excelência na gestão sem intervir na eficácia e no tratamento medicamentoso do paciente”, comenta.

O Barco Hospital Papa Francisco permite que os farmacêuticos trabalhem também com a farmacoeconomia, área que prepara os profissionais para lidar com o custo benefício do tratamento do paciente, área ligada à inovação e “à sobrevivência de unidades de saúde e eficácia no tratamento dos pacientes. Acredito que esse seja o caminho sem perder a nossa essência de farmacêutico. Aproveito para parabenizar o Conselho Regional de Farmácia do Pará, na pessoa da superintendente Dra. Lene Noronha que nos auxiliou nas certidões de regularidade técnica tanto do laboratório quanto da farmácia do Barco Hospital e todo apoio da Seccional Oeste”, conclui Frei Mariano.

Nenhum comentário

Deixe um comentário