Dia Mundial da Luta Contra a AIDS — CRF-PA
Acesse os serviços online em qulaquer lugar
Conselho regional de farmácia do Estado do Pará
24135
post-template-default,single,single-post,postid-24135,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-11.2,qode-theme-bridge,bridge-child,wpb-js-composer js-comp-ver-5.2.1,vc_responsive

Dia Mundial da Luta Contra a AIDS

O Dia Mundial da Luta Contra a AIDS foi instituído com o apoio da Organização das Nações Unidas (ONU) com o objetivo de homenagear a memória dos que morreram em decorrência da doença, comemorar os avanços e acessibilidade aos serviços de tratamento e, principalmente, sensibilizar a população sobre prevenção, diagnóstico e tratamento da doença que estão disponíveis.

Em Belém, o Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) disponibiliza testes rápidos para HIV (além de Sífilis e Hepatites B e C) com o objetivo de trabalhar o diagnóstico do vírus precocemente, facilitando o tratamento e evitando que o indivíduo adoeça e entre no quadro clínico da AIDS.

Farmacêutico Prescritor
A inserção do farmacêutico prescritor dos antirretrovirais para Profilaxias Pré e Pós- Exposição ao HIV (PrEP e PEP, respectivamente) pode se tornar uma realidade nacional – O PEP e PrEP são medidas preventivas ou de profilaxias para que a pessoa não tenha que contrair o vírus do HIV uma vez exposta a ele.

Atualmente, apenas São Paulo está com esse serviço, mas, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SESMA), a secretaria busca a nível municipal ser o segundo município do Brasil a ter essa realidade, pois os números de pacientes com HIV estão cada vez maiores. Dessa forma, ao efetuar as prescrições, o farmacêutico se juntaria aos médicos e enfermeiros para dar maior suporte aos pacientes que buscam esse serviço de maneira mais acessível e expansiva, sendo mais um aliado na prevenção para que novos casos não venham a surgir e assegurando a estes pacientes o menor tempo possível de contato com a possível transmissão e o seu medicamento.

Em todas as regiões do Brasil, a principal via de transmissão é a via sexual, nas regiões Norte e Nordeste, em 2020, o vírus e a doença são predominantes entre a população de homens heterossexuais, segundo a pesquisa epidemiológica da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde. Isto aponta uma mudança no perfil de pessoas contaminadas e desmistifica o imaginário coletivo, construído desde o final dos anos 1980, de que as pessoas contaminadas seriam apenas da população LGBTQIA+.

O estudo mostra que ninguém vem com informativo de que possui ou não uma doença sexualmente transmissível, ou seja, o uso do preservativo continua sendo a forma mais eficaz e simples de se prevenir contra o HIV, independente de se estar em um relacionamento estável ou não. Vale ressaltar que ações como a testagem para a doença e o início imediato do tratamento, em caso de diagnóstico positivo, são fundamentais para a redução do número de casos e óbitos.

Avanços nos testes e medicamentos
Marcando a evolução e acesso à testagem para HIV, foi disponibilizado recentemente nas farmácias do país o autoteste, que detecta de forma simples, rápida e segura os anticorpos contra HIV-1/2 por punção digital. O dispositivo é aprovado pela Anvisa e com marcação CE e pré-qualificado pela OMS (Organização Mundial da Saúde). Já nesta segunda-feira, 29.11, também representando um avanço no tratamento das pessoas portadoras do vírus que causa a Aids, a Anvisa aprovou um novo tratamento para o HIV que reúne dois antirretrovirais em único comprimido, facilitando a adesão de pacientes.

Atualmente dois autotestes são distribuídos pelo SUS, os dispositivos permitem o acesso à testagem para populações que historicamente enfrentam dificuldades para acessar os serviços básicos de saúde. Assim como distribui gratuitamente todos os antirretrovirais e garante o tratamento para todas as pessoas vivendo com HIV, independentemente da carga viral, através do SUS.

Previna, teste e trate!

Nenhum comentário

Deixe um comentário