CRF-PA comemora 6 anos da ação Farmacêutico Pai D'Égua — CRF-PA
Acesse os serviços online em qulaquer lugar
Conselho regional de farmácia do Estado do Pará
12795
post-template-default,single,single-post,postid-12795,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-11.2,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.2.1,vc_responsive

CRF-PA comemora 6 anos da ação Farmacêutico Pai D’Égua

“É sempre boa uma ação que nos conscientize, pouco ouço falar sobre o descarte correto de medicamentos”, relato de Dinair Barbosa, usuária dos serviços do Farmacêutico Pai D’Égua. 

Há 6 anos o Conselho Regional de Farmácia (CRF-PA) tomou como iniciativa a criação de um projeto com a premissa de conscientizar a população sobre o descarte correto de medicamentos: o Farmacêutico Pai D’Égua! A ação teve sua primeira edição em 2014 e foi pioneira nacional no debate sobre o assunto que é de extrema importância e pouco citado, afinal, até os dias atuais pouco se conhece acerca dos impactos dos medicamentos descartados erroneamente, sem falar da inexistência de legislações e políticas públicas sobre a problemática. 

Realizado na Praça Central do Castanheira Shopping Center, nos dias 13 e 14.09.19 o projeto ofereceu, mais uma vez, serviços farmacêuticos gratuitos à população paraense, como testes de hepatites B e C e de sífilis; aferição de pressão arterial, medição de índice glicêmico, orientação farmacêutica e serviços estéticos que são de atribuição do farmacêutico, como avaliação estética facial, auriculoterapia e bioimpedância.

Para a realização do Farmacêutico Pai D’Égua, o Conselho Regional de Farmácia contou com a colaboração de estudantes e farmacêuticos voluntários e, entre eles, a acadêmica de farmácia Kezia Silva, que sempre teve vontade de participar: “a sensação de estar aqui é muito boa, eu via muito nas redes sociais, mas estar aqui é uma experiência fantástica, melhor do que ver só as fotos. Aqui aprendi com os farmacêuticos já formados em como atender bem a população, na fala com eles, em todo o cuidado de atender e explicar. Saio daqui com a certeza de que adquiri muito aprendizado”, comenta.

O Projeto contou também com o descartômetro, local onde a população pôde trocar seus medicamentos vencidos e/ou desuso por brindes do CRF-PA, o que foi o caso da transeunte Dinair Cardoso. Dinair comentou que sua cunhada faleceu na mesma semana da realização do Farmacêutico Pai D’Égua, por isso, em sua casa tinham muitos medicamentos vencidos ou que não seriam mais utilizados pela família, “às vezes guardamos remédios e, eu pelo menos, tenho medo de jogar em qualquer lugar, porque eu separo todo meu lixo para colocar no local certo. Com o falecimento da minha cunhada, achei melhor trazê-los para vocês descartarem corretamente”, fala.

Além disso, promovemos a tradicional gincana entre os alunos das faculdades de Farmácia da cidade e a vencedora do ano foi a UNAMA BR, arrecadando 123,00kg!

Em relação aos serviços oferecidos, Dinair acredita ser importante oferecer atenção à saúde em locais de fácil e rápido acesso e que população sempre frequenta. “Muitas vezes nós deixamos nossa saúde de lado por falta de tempo”, conclui. 

Em 2019, o Farmacêutico Pai D’Égua completa 6 anos com uma trajetória notável e resultados inigualáveis, muito além do que era esperado em seu início, como a criação de leis municipais sobre a obrigatoriedade do descarte correto de medicamentos em Belém, Santarém e Oriximiná e do projeto de lei já em andamento em Redenção. Sem contar do recolhimento de mais de 6T de medicamentos vencidos e/ou em desuso e desdobramentos como o Pai D’Égua na Ilha e o Pai D’Égua na Escola, além de suas edições no interior do estado e parcerias com outros projetos como o Esse Rio É Minha Cura, de Abaetetuba e seu último destaque que foi o Pai D’Égua no Estádio, que levou conscientização para mais de 30 mil torcedores durante o intervalo do jogo entre Remo e Paysandu. 

Durante seus 6 anos de trajetória o Farmacêutico Pai D’Égua impactou muitas vidas, não só dos pacientes atendidos mas de farmacêuticos como o Dr. Igor Teles, que participa desde o primeiro ano: “para mim é muito gratificante quando vemos que nós realizamos um serviço e que a população corresponde. Não tem preço, é impagável, eu realmente me sinto realizado em estar participando e envolvido com o projeto”.

E da Dra. Camila Barroso, que participa do projeto de 2014 como acadêmica de farmácia e esse foi seu primeiro ano como farmacêutica: “eu participei desde que entrei na faculdade e hoje eu orientei acadêmicos de farmácia e foi muito bom porque consegui passar minha experiência e fazer parte com a atenção farmacêutica aos pacientes, sou tão encantada com o projeto que meu trabalho de conclusão de curso foi inspirado no Farmacêutico Pai D’Égua só que voltado para crianças”, enfatiza Camila.

Em 2019, o Farmacêutico Pai D’Égua completa 6 anos com uma trajetória notável e resultados inigualáveis, muito além do que era esperado em seu início, como a criação de leis municipais sobre a obrigatoriedade do descarte correto de medicamentos em Belém, Santarém e Oriximiná e do projeto de lei já em andamento em Redenção. Sem contar do recolhimento de mais de 6T de medicamentos vencidos e/ou em desuso e desdobramentos como o Pai D’Égua na Ilha e o Pai D’Égua na Escola, além de suas edições no interior do estado e parcerias com outros projetos como o Esse Rio É Minha Cura, de Abaetetuba e seu último destaque que foi o Pai D’Égua no Estádio, que levou conscientização para mais de 30 mil torcedores durante o intervalo do jogo entre Remo e Paysandu. 

O Farmacêutico Pai D’Égua continua sua trajetória sendo o projeto de maior destaque do CRF-PA e aceita cada vez mais desafios se mostrando presente na vida dos farmacêuticos e da população paraense.

Nenhum comentário

Deixe um comentário